Em um sistema de energia solar fotovoltaica on-grid (conectado à rede), o inversor pode ser considerado o “cérebro” do sistema fotovoltaico. É o inversor que sincroniza a energia gerada pelos módulos fotovoltaicos com a rede elétrica  da concessionária.  Se você não sabe o que é um sistema on-grid, sugiro que faça a leitura desse post: Energia solar on-grid e OFF-GRID: entenda a diferença

Em um sistema on-grid existe basicamente três tipos de inversores: Os inversores “comuns”, que são aqueles que ficam fixados na parede e que também podem ser chamados de inversores de string, os inversores mistos de on-grid e off-grid e os micro inversores.

O objetivo desse post não é explicar o que é o micro inversor e quais são as vantagens obtidas com a sua utilização. Se você deseja saber um pouco mais sobre as vantagens dos micro inversores, sugiro a leitura do texto:  Conheça o microinversor solar

Irei responder nesse post  uma dúvida muito comum. O micro inversor suporta a água da chuva?

Uma das desvantagens do micro inversor se deve ao fato de que ele é instalado  no telhado, embaixo dos módulos fotovoltaicos. Com isso, caso ocorra algum defeito, é necessário subir no telhado para fazer o diagnóstico. Isso não ocorre com o inversor “comum” (inversor central, inversor de string), que geralmente é instalado dentro da casa do cliente. Além disso, o fato do micro inversor ser instalado no telhado, o deixa sujeito a intempéries como chuva, sol, poeira, calor e frio. Dentre essas intempéries a que mais preocupa os clientes  é o fato do micro inversor estar totalmente exposto a água da chuva. Mas afinal…O micro inversor pode ser molhado com a água da chuva sem que isso cause algum defeito no futuro?

Figura 1 – Micro inversor instalado embaixo dos módulos FV. – Fonte: Manual de Instalação Apsystems

Antes de responder a essa pergunta, vamos falar de um conceito muito importante: O Grau de Proteção IP.

IP vem da sigla em inglês Index Protecion. O IP é um indicativo do grau de proteção de um produto.

O grau de proteção IP indica a resistência que determinado produto tem para o seu uso em ambiente interno ou externo, ambientes com condições variáveis de temperatura, umidade, ruído ou vapores  tóxicos.

O índice IP é composto de dois algarismos. O primeiro, indica a proteção que o equipamento tem contra corpos sólidos, e o segundo, indica a proteção contra líquidos. A figura 2 mostra o significado de cada um dos algarismos do grau de proteção IP

Figura 1 – Índice de Proteção IP. Fonte: Legrand

A maioria dos micro inversores tem fator de proteção IP67 ou superior. Isso significa que os micro inversores com esse grau de proteção, são totalmente protegidos contra pó (Algarismo “6”) e protegidos contra a imersão em água (algarismo “7”).

A informação sobre o fator de proteção de cada micro inversor pode ser consultada na etiqueta do próprio equipamento ou na sua folha de dados.

Para demonstrar que o inversor suporta a imersão total em água (algarismo “7” ), e consequentemente suporta receber o impacto direto da água da chuva, a fabricante HoyMiles expôs na Intersolar 2019 um  micro inversor MI-500 totalmente submerso na água. Graças ao seu fator de proteção PI67, ele continuou funcionando normalmente. Confira o vídeo abaixo:

Já o inversor “comum”, geralmente possui grau de proteção IP65 . Ou seja, assim como o micro inversor, ele também é totalmente protegidos contra pó (Algarismo “6”), porém a proteção contra líquidos é de grau 5, o que lhe confere a proteção apenas contra jatos de água leve e não com a imersão total em água. Por isso, a sugestão é que o inversor convencional seja instalado em locais onde ele fique protegido contra a água da chuva.  

E aí? Gostou do contéudo? Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários abaixo.

Até o próximo post.