A busca pelas fontes de energia limpas e a Aliança Solar Internacional

5 (100%) 18 votes

A busca por fontes de energia limpas e renováveis é cada vez maior pelo mundo. No Brasil não é diferente, uma vez que contamos com um dos maiores potenciais para a tecnologia fotovoltaica devido a alta incidência de raios solares por todo o território nacional. Desse modo, podemos observar várias ações para impulsionar o mercado solar interno.

O programa Aliança Solar Internacional, anunciado no ano de 2015, ainda é novidade para a grande maioria dos consumidores. E foi pensando nisso que no post de hoje vamos falar sobre o que é essa aliança e como ela pode impactar o Brasil. Continue acompanhando!

O que é a Aliança Solar Internacional?

A Aliança solar Internacional caracteriza-se em um projeto cujos objetivos principais são: a promoção, divulgação e principalmente o incentivo da utilização energia fotovoltaica. Principalmente para nações com forte potencial solar, como é o caso do Brasil.

A busca pelas fontes de energia limpas e a aliança solar internacional

O programa de Aliança Solar Internacional, que foi anunciado pelo primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, juntamente do presidente francês, François Hollande, no dia 30 de novembro do ano de 2015, durante o primeiro dia da Conferência do Clima em Paris.

Essa Aliança é um acordo firmado entre 121 países localizados entre os trópicos de Câncer e Capricórnio (as regiões que recebem os maiores índices de raios solares). Desse modo, os membros desse programa são responsáveis por reduzir os valores de financiamentos e das tecnologias fotovoltaicas por todo o mundo.

Outra função muito importante atribuída à Aliança Solar internacional é o impulsionamento de novos projetos fotovoltaicos de modo a estimular o uso de fontes de energia limpas. Especialmente  para países em desenvolvimento que ainda não utilizam o Sol como fonte de energia renovável e limpa.

Os responsáveis pelo programa pretendem mobilizar mais de US$ 1 trilhão em investimento para a adoção da energia fotovoltaica até o ano de 2030. Além de diversas ações para estimular a criação de novas tecnologias que utilizem o sol como fonte de energia elétrica.

Como a Aliança Solar Internacional afeta o mercado brasileiro?

O pedido para a entrada do Brasil na Aliança Solar Internacional foi enviado pela presidência da República ao Congresso Nacional no dia 26 de fevereiro do ano de 2018. Entretanto, ainda aguarda análise do plenário da Câmara.

Essa iniciativa é um marco importante para o posicionamento internacional e principalmente o desenvolvimento do segmento fotovoltaico no país. Uma vez que o território brasileiro conta com um dos melhores recursos solares de todo o mundo.

A busca pelas fontes de energia limpas e a aliança solar internacional (2)

Desse modo, a integração do Brasil na Aliança Solar Internacional afeta o mercado interno de maneira positiva. Pois promove e estimula a criação de programas e ações nas áreas de financiamento, modelos de negócio, recursos tecnológicos, políticas de incentivos a fontes de energia limpas e principalmente pesquisa e desenvolvimento do setor solar brasileiro.

Além disso, a participação do Brasil contribui para que o país adote um conjunto melhor de práticas internacionais e com isso aumente o desenvolvimento da energia solar em todo o território nacional.

E então, entendeu o que é a Aliança Solar Internacional e como ela pode ajudar o mercado fotovoltaico brasileiro a fomentar as fontes de energia limpas? Se você quer  continuar aprendendo ainda mais, não deixe de ler nosso post sobre as tendências do mercado de energia solar!

Acesse mais artigos sobre energia solar:

 

3 Comments

  1. Pingback: Energia Solar - Soliens | curso de energia solar, placa solar

  2. Pingback: Energia Solar - Soliens | curso de energia solar, placa solar

  3. Pingback: Energia Solar - Soliens | curso de energia solar, placa solar

Comments are closed.